Fique por dentro das novidades do festival Ver-o-Peso da Cozinha Paraense:



Chefs na praça marca o encerramento do Ver-o-peso da Cozinha Paraense



O projeto Chefs na Praça, pela segunda vez na programação do Ver-o-peso da Cozinha Paraense, encerrou a 12ª edição do festival com uma grande festa na praça Batista Campos, em Belém. Com preços variando entre 10, 15 e 20 reais, 21 chefs preparavam comidas populares em barracas montadas no centro da praça.

Durante três horas, a praça se transformou em um grande restaurante a céu aberto, onde a grama virou mesa e a porcelana deu lugar aos pratos biodegradáveis feitos a partir da fécula da mandioca. No cardápio: massas, peixes, maniçoba, camarões, tapioquinhas, sanduíches e até o tradicional açaí com pirarucu.

"Eu gostei de tudo que comi", declarou o empresário Ricardo Almeida. Acompanhado pela esposa, grávida de 7 meses, o casal experimentou seis, entre os pratos oferecidos. "Compramos seis pratos e dividimos cada um deles. Assim a gente podia experimentar mais coisas", explicou Ricardo, que fez questão de afirmar que a esposa acabou comendo mais do que a metade dos pratos.

Este ano, o "Chefs na Praça" cresceu. O número de chefs dobrou e o evento ganhou local nobre, saindo da rua dos Tamoios e ocupando o centro da praça Batista Campos, em Belém. O chef Felipe Gemaque, que este ano levou para praça churrasqueiras e preparou espetinho de peixe grelhado no tucupi, revelou que começou a pensar no prato, em fevereiro.

"As pesquisas com os ingredientes estão sempre acontecendo, principalmente com a mandioca (este ano, os chefs foram desafiados a criar uma receita exclusiva utilizando a mandioca) que é uma das matérias primas chaves da culinária paraense. Para a receita que será levada à praça, os testes começaram em fevereiro", detalhou.

Para o chef, "o Ver-o-peso da Cozinha Paraense, estimula e instiga aos chefes locais à busca de novidades entre os produtos que já conhecemos. Isso faz com que os resultados de nossas pesquisas e experiências enriqueçam a cozinha de todos os envolvidos direta e indiretamente no festival", declarou Gemaque explicando que a proposta do evento é mostrar como a culinária do dia-a-dia se transforma com um toque profissional.

A chef Ilca Carmo confessou que a receita para o festival só foi definida as vésperas do evento. "A gente queria fazer algo tão bacana e tão diferente que acabávamos não nos contentando no final da receita e continuávamos a trabalhar. Sempre achando que dava pra ficar ainda melhor", conta. A receita de tapioca recheada com camarão regional, crisp de macaxeira e geléia de tucupi, foi a eleita por Ilca e pelas 350 pessoas que passaram pela sua barraca. "O Chefs na Praça é uma delícia. A comida de rua é muito forte em Belém e misturar esta simplicidade e praticidade com o toque profissional do chef é algo que agrada e dá certo. Tão certo que ano passado nos preparamos para servir 200 porções e a comida acabou antes do esperado", entregou.